“O esforço para remover a presidente Rousseff não é um julgamento legal, mas político”, afirma Sanders

O processo de Impeachment de Dilma Rousseff continua sendo um dos assuntos mais comentados na mídia internacional. Além da repercussão midiática fora do país, que dá visibilidade ao risco à democracia, representantes políticos de diversos países e intelectuais já elaboraram análises e definiram posicionamentos em relação ao processo. O senador Bernie Sanders emitiu, na segunda-feira (8), uma declaração exortando os Estados Unidos a tomar uma posição definitiva contra os esforços para remover a presidente brasileira Dilma Rousseff do cargo:

 

Do site de Bernie Sanders:

 

Estou profundamente preocupado com o esforço atual para remover a presidente democraticamente eleita do Brasil, Dilma Rousseff. Para muitos brasileiros e observadores do controvertido processo de impeachment, ele mais se assemelha a um golpe de Estado.

 

Depois de suspender a primeira mulher presidente do Brasil por razões duvidosas, sem um mandato para governar, o novo governo interino aboliu ministérios de mulheres, igualdade racial e direitos humanos. Eles imediatamente foram substituídos por  um gabinete composto inteiramente de homens brancos. A nova administração nova, não eleita, rapidamente anunciou planos para impor austeridade, aumentar a privatização e instalar uma agenda social de direita.

 

O esforço para remover a presidente Rousseff não é um julgamento legal, mas político. Os Estados Unidos não podem sentar-se em silêncio enquanto as instituições democráticas de um dos nossos aliados mais importantes são minadas. Nós devemos dar suporte às famílias trabalhadoras do Brasil e exigir que esta disputa seja resolvida com eleições democráticas”.