Entenda o caso “The Panama Papers”

Muitos empresários, políticos, esportistas e até figuras culturais estão destacados na investigação jornalística internacional “The Panama Papers”. O caso, que gira em torno do vazamento de 11,5 milhões de documentos no qual o jornal alemão “Süddeutsche Zeitung” e o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (CIJI) tiveram acesso, expôs informações ocultas envolvendo o escritório de advocacia e consultoria Mossack Fonseca, no Panamá. O escritório operava empresas no formato offshore, ou seja, entidades registradas em um país que oferece um sistema fiscal particularmente vantajoso ou até mesmo inexistente, desde que as atividades não sejam realizadas no território de registro da empresa. O trabalho de investigação durou um ano e envolveu 378 jornalistas de 107 meios de comunicação em 77 países.

Documentos

Segundo o semanário português Expresso, os documentos revelam o modo de negociação das companhias offshore. “Mostra como uma indústria global de sociedades de advogados, empresas fiduciárias e grandes bancos vendem o segredo financeiro a políticos, burlões e traficantes de droga, bem como a multimilionários, celebridades e estrelas do desporto”, lê-se no Expresso. Os documentos contém informações sobre 214.488 entidades offshore relacionadas com pessoas em mais de 200 países e territórios. Além disso, fornecem detalhes de desvio de dinheiro e operações financeiras ocultas de mais 128 pessoas e desvios.

 

Dinheiro 

O dinheiro era utilizado nos mais diversos tipos de ação, desde fuga ao fisco até ao financiamento de crimes de cartéis de droga, exploração de diamantes e guerras. Segundo o Expresso, os documentos referem “pelo menos 33 pessoas e empresas que constam numa lista negra da administração norte-americana por se envolverem em negócios com os patrões da droga mexicanos, organizações terroristas como o Hezbollah ou países como a Coreia do Norte e o Irão”. Por exemplo, diz ainda o jornal, “uma destas empresas forneceu combustível para os aviões que o Governo sírio usou para bombardear e matar milhares de cidadãos”.

Os envolvidos

Grandes personalidades mundiais estão envolvidas no caso. Um dos nomes mais falados é o do presidente russo, Vladmir Putin, e do presidente argentino, Mauircio Macri. Outros grandes nomes que surgem na lista, são, por exemplo, o rei da Arábia Saudita, Salman; o presidente da China, Xi Jinping; o primeiro-ministro da Islândia, Sigmundur David Gunnlaugsson; o presidente ucraniano Petro Poroshenko; o presidente da UEFA, Michel Platini e o futebolista Leonel Messi.

Confira a lista de envolvidos 

Os documentos, que foram obtidos pelo CIJI, revelam que políticos de sete partidos brasileiros têm contas em empresas offshores no exterior abertas pela Mossack Fonseca. PDT, PMDB, PP, PSB, PSD, PSDB e PTB são as legendas cujos integrantes aparecem na lista.

 

Para entender melhor este assunto complexo, o portal Vox criou um conteúdo didático explicando a problemática. Os textos do diagrama foram traduzidos do inglês para o português pelo portal Blue Bus.

Clique no link para conferir: http://www.bluebus.com.br/panamapapers-explicados-de-maneira-didatica-ate-uma-crianca-de-5-anos-entende/