Artistas e intelectuais estrangeiros pedem ao Senado respeito a eleitores de Dilma

Com informações da Folha de São Paulo, Brasil de Fato e Rede Brasil Atual 

O processo de impeachment de Dilma Roussef e a democracia brasileira voltou para as manchetes da imprensa internacional. Dessa vez, um grupo de artistas e intelectuais estrangeiros divulgaram na última quarta-feira (24) uma carta protesto contra o processo de impeachment da presidenta afastada.

 

Entre os 22 artistas que assinaram o documento estão o famoso guitarrista do Rage Against The Machine, Tom Morello,  o ex-vocalista da banda Roxy Music,  Brian Eno, o professor do MIT  e escritor, Noam Chomsky, e os diretores Oliver Stone e Ken Loach.

 

Além de defender o retorno da presidenta Dilma Rousseff, afastada no dia 12 de maio após admissibilidade de processo de impeachment pelo Senado Federal, as personalidades não poupam críticas à gestão provisória, que se beneficiou do golpe. “Lamentamos que o governo interino no Brasil tenha substituído um ministério diversificado, dirigido pela primeira presidente mulher, por um ministério composto por homens brancos, em um país onde a maioria se identifica como negros ou pardos.”

 

O Senado está prestes a decidir definitivamente sobre a efetivação do golpe. Sobre isso, a carta diz esperar “que os senadores brasileiros respeitem o processo eleitoral de 2014, quando mais de 100 milhões de pessoas votaram. O Brasil emergiu de uma ditadura há apenas 30 anos e esses eventos podem atrasar o progresso do país em termos de inclusão social e econômica por décadas. Se este ataque contra suas instituições democráticas for bem sucedido, as ondas de choque negativas irão reverberar em toda a América Latina”.

 

 

Confira, abaixo, a íntegra da carta do grupo de artistas e intelectuais e seus signatários.

 

 

24 de agosto de 2016

Nos solidarizamos com nossos colegas artistas e com todos aqueles que lutam pela democracia e justiça em todo o Brasil.

 

Estamos preocupados com o impeachment de motivação política da presidenta, o qual instalou um governo provisório não eleito. A base jurídica para o impeachment em curso é amplamente questionável e existem evidências convincentes mostrando que os principais promotores da campanha do impeachment estão tentando remover a presidenta com o objetivo de parar investigações de corrupção nas quais eles próprios estão implicados.

 

Lamentamos que o governo interino no Brasil tenha substituído um ministério diversificado, dirigido pela primeira presidente mulher, por um ministério compostos por homens brancos, em um país onde a maioria se identifica como negros ou pardos. Tal governo também eliminou o Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e dos Direitos Humanos. Visto que o Brasil é o quinto país mais populoso do mundo, estes acontecimentos são de grande importância para todos os que se preocupam com igualdade e direitos civis.

 

Esperamos que os senadores brasileiros respeitem o processo eleitoral de 2014, quando mais de 100 milhões de pessoas votaram. O Brasil emergiu de uma ditadura há apenas 30 anos, e esses eventos podem atrasar o progresso do país em termos de inclusão social e econômica por décadas. O Brasil é uma grande potência regional e tem a maior economia da América Latina. Se este ataque contra suas instituições democráticas for bem sucedido, as ondas de choque negativas irão reverberar em toda a região.

 

Tariq Ali – Writer, journalist and filmmaker

Harry Belafonte – Civil rights activist, singer and actor

Noam Chomsky – Professor Emeritus of Linguistics at MIT, theorist and intellectual

Alan Cumming – Actor and author

Frances de la Tour – Actor

Deborah Eisenberg – Writer, actor and teacher

Brian Eno – Composer, singer, visual artist and record producer

Eve Ensler – Playwright, author of The Vagina Monologues

Stephen Fry – Broadcaster, actor, director.

Danny Glover – Actor and film director

Daniel Hunt – Music producer and filmmaker

Naomi Klein – Writer and filmmaker

Ken Loach – Filmmaker

Tom Morello – Musician

Viggo Mortensen – Actor and musician

Michael Ondaatje – Novelist and poet

Arundhati Roy – Author and activist

Susan Sarandon – Actor

John Sayles – Screenwriter, director and novelist

Wallace Shawn – Actor, playwright and comedian

Oliver Stone – Filmmaker

Vivienne Westwood – Fashion designer

Foto de abertura – WikiCommons: Viggo Mortensen, Susan Sarandon, Noam Chomsky e Tom Morello, alguns dos que são contra o golpe