“Em muitos países os meios de comunicação atuam como juízes” diz Canclini

Em entrevista realizada em novembro de 2015 ao programa Observatório da Imprensa – que conta com a apresentação do jornalista Alberto Dines-, o antropólogo argentino Nestor García Canclini, criticou a superficialidade dos meios de comunicação bem como a velocidade das redes sociais que, segundo o especialista, não dão  espaço e tempo para a reflexão de assuntos de alta complexidade.

Canclini fez observações profundas sobre questões que afligem a humanidade no século XXI: a xenofobia na Europa, a identidade dos povos indígenas da América do Sul e o preconceito racial no Brasil e no mundo. Para ele “É necessário a criação de uma política democrática de reconhecimento da pluralidade, das diferenças e da possibilidade que convivam.” O escritor e professor, que fugiu da ditadura argentina e se radicou no México, também lançou seu olhar crítico para a violência dos cartéis mexicanos. Ele afirmou que “a guerra do governo contra o narcotráfico fracassou claramente. A militarização e a repressão não servem. É preciso encarar o narcotráfico como um problema social.”

Confira a entrevista :