“Terceirizado, um Trabalhador Brasileiro”: a dura realidade de quem busca dignidade

A classe trabalhadora vem enfrentando um cenário sombrio. As novas regras da Reforma Trabalhista – que entram em vigor a partir dos contratos assinados em novembro – remetem a um passado não muito distante, no qual os trabalhadores eram submetidos a toda e qualquer atividade sem ter o direito de reivindicar o básico.

Classificada como uma técnica moderna de processo produtivo pelos Deputados e Senadores que votaram a favor, a Reforma Trabalhista, na verdade, abre margem para novos tempos de desigualdade social. Enquanto o principal argumento dos defensores da medida gira em torno da contribuição sindical, as reais ameaças como o negociado sobre o legislado e a terceirização são deixadas de lado.

Em meio à esse cenário de tantas incertezas e ameaças, parece importante reproduzir o documentário realizado, em 2014, pelo Grupo de Pesquisa Trabalho e Capital da Faculdade de Direito da USP, “Terceirizado, um Trabalhador Brasileiro”, que demonstra um pouco da precarização e da invisibilidade a que são submetidos os trabalhadores terceirizados e as trabalhadoras terceirizadas. O registro conta com a coordenação do professor Jorge Luiz Souto Maior.